quarta-feira, 15 de maio de 2013

Khalil Gibran

Nasci em Limoeiro do Norte, interior do Ceará, em 15 de fevereiro de 1979. Por indicação da minha avó paterna, Margarida, minha mãe me batizou com o nome do poeta libanês Khalil Gibran. Fui o primeiro de 04 filhos, crescendo sob os carinhos e os cuidados da minha mãe, pai e da minha amada avó materna, Ernestina.
Desde criança, sonhava em ser cantor e guitarrista, ficava encantado quando via na tv artistas como Raul Seixas, Lobão e tantos outros. Mas somente aos 16 anos tive meu primeiro contato com o violão. Nessa época eu devorava toda a discografia do Raul Seixas, só que em fitas cassete, pois não era costume na minha casa ouvir música. Diante disso, me encarreguei de comprar um gravador mono, que foi meu companheiro noturno durante muito tempo. Com aquele amigo monofônico eu desenvolvi um gosto pela música que me acompanhou pelo resto da vida.
Comecei sozinho a dedilhar os primeiros acordes, com a ajuda de um folhetinho de cifras. Foi nessa época também que aprendi como era bom compartilhar a música com os amigos. A vida era tranquila e eu passeava de madrugada com meus companheiros de violão pelas praças da cidade.
Em 1997 montei minha primeira banda. A Tribos e Tributos era formada por Jotapê Holanda, Chicão e eu. Um power trio que durou alguns anos. Foi uma época muito divertida. Jotapê e Chicão ainda tocam comigo até hoje.
Em 2003 a banda foi desfeita por conta da ida de Jotapê para Fortaleza, que havia passado no curso de música na Universidade Estadual do Ceará.
Em 2004 eu montei uma nova banda. A Retirantes era formada por Chicão na bateria, os guitarristas Ricardo Coração e Eduardo Carrari, Sidão nos teclados, Thiago Faheina no baixo e eu no vocal. A banda durou, com essa formação, até 2006, quando da minha saída. Ainda em 2006 casei com a Milena Bandeira, poeta que havia sido uma grande amiga, namorada, tornara-se esposa e me presentearia em 2008 com a Sophia, que chagaria para iluminar os nossos dias.
O motivo da saída da Retirantes era justamente o desejo de construir uma carreira autoral na música. O que para a maioria dos integrantes da banda era somente uma diversão, para mim era coisa séria. Trabalhei minhas composições e comecei a pensar em gravar meu primeiro disco.
Nesse meio tempo, produzi dois CDs de outros projetos. O Cantares e Folganças, do Grupo Brincantes de Teatro e o Som das Carnaubeiras, da Orquestra Popular Carnaubeira. Trabalhos dos quais tenho muito orgulho de ter participado.
O sonho de gravar meu disco se concretizou somente em 2009, quando venci um Edital de Incentivo à Cultura da Secretaria da Cultura do Ceará. O prêmio cobria grande parte dos custos com a gravação do disco.
Ainda era 2009 quando fui morar em Fortaleza e conheci o guitarrista e produtor musical Mimi Rocha, que rapidamente compreendeu e mergulhou no meu trabalho.
Mimi e eu nos tornamos grandes amigos e realizamos no MR Estúdio o meu primeiro álbum.
Noturno foi dirigido por Mimi Rocha, mixado e masterizado por Marcos Caminha, no Rio de Janeiro, e lançado em Fortaleza em agosto de 2011.
Hoje, aos 33 anos, tenho uma carreira para trilhar e uma única certeza: enquanto eu tiver a capacidade de sonhar, estarei cantando.
Khalil Gibran

Nenhum comentário:

Vídeo de Zeca Zines no You Tube - Sensacional!