quinta-feira, 1 de abril de 2010

Manassés - Entrevista

Manassés pelo traço de Fausto Nilo
Um dos músicos mais talentosos de sua geração, Manassés de Sousa - cearense de Maranguape - vem ao longo do tempo construindo uma carreira sólida e consistente, com trabalhos de qualidade no campo da música instrumental e um incentivo para os jovens músicos.
É com grande alegria que o blog “Música do Ceará” entrevista Manassés!

1- Como a música entrou em sua vida ? Você tem outros parentes ligados à música ?
Comecei a tocar com quatro anos de idade, influenciado por um irmão mais velho que já tocava. Estudava escondido, pois ele não me deixava pegar no violão.
2- Que músicos o influenciaram ?

As influencias são bastante diversificadas, porque eu tinha muita curiosidade e muita vontade de aprender, então ouvia muito o rádio, na época tocava Jacó do Bandolim, Waldir Azevedo, Dilermano Reis , Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, etc. Mas também ouvia na feira de Maranguape os repentistas, emboladores de côco e também um pouco depois começou aquela moda de Beatles e cia. Isso tudo serviu de referência para mim.

3- Sua primeira participação em disco foi no LP de Rodger e Téti – Chão Sagrado. Como surgiu a oportunidade de participar do disco ?
Comecei o trabalho com Rodger e Teti levado pelo pianista Edson Távora.

4- Nos anos 70 você viveu um período trabalhando no exterior. Como foi essa experiência ?
Morei três anos na França, e foi uma experiência enriquecedora, no sentido de Paris ser uma cidade cosmopolita e culturalmente muita rica e eu, com minha curiosidade, ia ver shows de artista do mundo inteiro e isso ajudou também na minha formação musical.
5- Em 1979 você lançou seu primeiro disco solo: Manassés. Fale-nos sobre ele.
Meu primeiro disco foi produzido pelo Fagner para a CBS, e mesmo com a minha pouca experiência, tive a oportunidade de gravar com músicos importantes, como Dino Sete Cordas, Abel Ferreira, Zé Américo Bastos, entre outros.

6- 1980 – Você, Ife, Petrúcio Maia e Cândido. A Banda de Santarén. Como surgiu, de quem foi a idéia de formar o grupo ?
A Banda Santaren na verdade era a banda que acompanhava o Fagner, inclusive, o nome foi dado por ele. Ele foi também o produtor do disco, foi assim como um presente que ele nos deu.

7- “Pra você” é seu segundo trabalho gravado. Foi difícil levar adiante o projeto de um disco independente ?
“Pra você” foi um disco feito com muita dificuldade, mas tive o apoio do produtor Doma Lima e conseguimos fazer um trabalho que foi muito bem recebido por todos, inclusive pela crítica especializada.

8- Você tem centenas de shows em sua bagagem, mas teve algum em especial que marcou ?
- Tive vários momentos especiais, mas tocar com a Deyse (Fat Family) no Show do 1° de maio, da CUT em São Paulo, para oitocentas mil pessoas foi muito especial.

9- A saída para o músico brasileiro continua sendo o aeroporto ou as coisas melhoraram ?
Acho que a saída para o musico brasileiro é ter muita força de vontade e buscar soluções aqui mesmo.
10- O Ceará tem grandes representantes na música instrumental. Quem você destacaria dos novos talentos cearenses ?
Alguns instrumentistas cearenses que destacaria são: Cainã Cavalcante, Tiago Almeida, Adelson Viana, Carlinhos Patriolino, Italo Almeida, Reno Saraiva, Lu de Sousa, etc. etc.

11- Qual o seu projeto de trabalho mais recente ?
Estou finalizando o meu primeiro trabalho cantado, com musicas minhas e em parceria com alguns poetas que tive a alegria de conhecer em todos esses anos de estrada.


Um comentário:

TrilheiroWR disse...

Onde consigo encontrar os CDs e DVD de Manassés aqui em Brasília-DF?

Vídeo de Zeca Zines no You Tube - Sensacional!