domingo, 20 de setembro de 2009

Fagner - Manera Fru Fru Manera

Mesmo depois de 36 anos de seu lançamento, muito mistério ainda ronda o primeiro LP de Raimundo Fagner, Manera Fru Fru Manera. Lançado sem o encarte, até hoje sem uma explicação convincente, não se sabe exatamente que músicos participam de quais faixas, a não ser pela vagas informações da contra capa que indicam a participação de Bruce Henry, Naná de Vasconcelos, arranjo de Ivan Lins para Mucuripe, além do vocal de Nara Leão em “Pé de Sonhos” e “Penas do Tié”. Também pela falta do encarte é que houve todo o problema com a música “Canteiros”, já que segundo Fagner declarou em entrevistas, ele tinha mencionado no encarte que a música era baseada no poema “Marcha” de Cecília Meireles. Especula-se que o boicote ao encarte foi manobra de um determinado diretor da Philips, muito poderoso na ocasião e desafeto de Fagner . Falou-se também em ciúmes do grupo baiano e de seu empresário na época, muito influente na mesma gravadora, mas a verdade nunca foi dita. Que o lançamento colocou Fagner em evidência não há dúvida. Com um compacto promocional sendo lançado para a imprensa onde nomes como o jogador de futebol Afonsinho, Nara Leão, Ronaldo Bôscoli e Erasmo Carlos davam o seu total aval ao cantor/compositor iniciante, é muito provável que a ciumeira tenha realmente acontecido.

Os desencontros começaram desde o título do disco. Fagner queria apenas “Manera Fru Fru Manera”, mas a gravadora insistiu em colocar “O último pau de arara” na capa.
Uma outra dúvida sobre o disco é o porquê do anúncio do cigarro Hollywood na capa e contra capa. A Souza Cruz entrou com algum patrocínio ali ? Que outra explicação seria convincente para justificar tamanho merchandise ?

Mistérios e ciúmes à parte, o primeiro disco de Fagner foi marcante na época.
Com um repertório misturando canções autorais, músicas mais regionais e o lançamento de novos compositores como Petrúcio Maia e Brandão , Fagner já deixava claro em seu primeiro disco que na MPB estava estreando um cantor de muita personalidade e com um jeito único de cantar, alguém que torna definitiva as interpretações que dá para as canções.

Devido aos problemas com a faixa “Canteiros” as primeiras edições do disco foram logo substituídas por outra com a canção “Cavalo Ferro”entrando no lugar de “Canteiros”. Devidos a tantos problemas acontecidos em seu primeiro LP solo, Fagner sairia da gravadora Philips em seguida. Além de “Manera Fru Fru Manera” ele teve lançados pelo selo o compacto duplo de 1972, a participação no LP “Quando o Carnaval Chegar” e no Phono 73.


RAIMUNDO FAGNER – MANERA FRU FRU MANERA – 1ª EDIÇÃO - 1973

Lado A

1- Último pau de arara (Venâncio/Corumbá/J. Guimarães)
2- Nasci para chorar (Born to cry) (Dion/Dimucci)-Versão de Erasmo Carlos
3- Penas do Tiê (Heckel Tavares) – Participação de Nara Leão
4- Moto 1 (Fagner/Belchior)
5- Mucuripe (Fagner/Belchior)
6- Como se fosse (Fagner/Capinan)

Lado B

1- Pé de sonhos (Petrúcio Maia/Brandão) – Participação de Nara Leão
2- Canteiros (Fagner em poema de Cecilia Meireles)
3- Sina (Fagner/Ricardo Bezerra/Patativa do Assaré)
4- Tambores (Jovem também tem saudade) (Fagner/Ronaldo Bastos)
5- Serenou na madrugada (Folclore – Adapt. de Fagner) – Participação de Bruce Henry
6- Manera Fru Fru Manera (Fagner/Ricardo Bezerra)

Nenhum comentário:

Vídeo de Zeca Zines no You Tube - Sensacional!