segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Projeto Concertos nas Escolas - Fortaleza

“CONCERTOS NAS ESCOLAS” APRESENTA MÚSICA DE CÂMARA E INSTRUMENTOS DE SOPRO EM SEIS (06) ESCOLAS DA REDE PÚLICA DE FORTALEZA

Concertos nas Escolas - O projeto contemplado com edital da Secultfor, desde o dia 05 de novembro, faz shows didáticos com o Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno e para formação de platéia em Instituições municipais do ensino fundamental e médio nos bairros do Alagadiço Novo, Álvaro Weyne, Caça e Pesca, Jardim América, Jangurussu e Passaré, bairros da periferia de Fortaleza que recebem as apresentações até o dia 21 de novembro.


Democratizar, desmistificar e disseminar são os verbos que o Projeto Concertos nas Escolas vai ritmar, a partir de 05 de novembro (Dia da Cultura), ao levar Música de Câmara e apresentações com perfis didáticos a seis (06) escolas públicas de Fortaleza. Até dia 21/11, véspera do Dia da Música (22/11), o projeto, contemplado por edital da Secultfor (Secretaria de Cultura de Fortaleza) contempla com shows musicais do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno e demonstração de instrumentos, jovens estudantes e professores de instituições do ensino fundamental e médio da rede pública, também estendendo a ação aos pais dos alunos e à comunidade próxima dos educandários.

O roteiro começa no próximo dia 05/11, às 07h15, pela escola José Carvalho (bairro do Alagadiço Novo). Segue no dia 12/11, às 07h30, à escola Roseli Mesquita (Álvaro Weyne), e vai no dia 13/11, às 07h15, à escola Frei Tito (Caça e Pesca ), seguindo no dia 19/11, às 16h30 à escola Filgueiras Lima (Jardim América) e no dia 20/11, às 07h15 à escola Marieta Cals (Jangurussu), antes de findar a primeira edição da excursão, no dia 21/11, a partir das 8 horas, pela escola Teófilo Girão (Passaré/ Barroso II) *endereços no quadro a seguir.

As apresentações têm duração média de 45 minutos, nas quais os componentes da orquestra de câmara mesclam apresentações de músicas do gênero com comentários sobre as composições e exposições sobre os instrumentos (flauta transversal, oboé, clarineta, fagote e trompa). No repertório: “Suíte Hermética” (de Liduíno Pitombeira), “Doce de Côco” (de Jacob do Bandolim com arranjo do Maestro Duda), “No forró do Zé Doidiça” (de Rogério Borges), “Lamento” (de Pixinguinha com arranjo do Maestro Duda), “Sanfonaria”(de Dimas Sedícias), “André de sapato novo” (de André Corrêa), “Xaxando no Cerrado” (de Fernando Morais) e “Tico-tico” (de Zequinha Abreu).


FORMAÇÃO DE PLATÉIA e ENVOLVIMENTO EDUCATIVO-CULTURAL

Ao chegar a essas seis escolas públicas iniciais, o projeto quer ampliar acessos e oportunidades de conhecimento sobre Música de Câmara, gênero surgido na burguesia européia, cuja prática no Brasil ainda se restringe aos meios de ensino em conservatórios, aos recitais em teatros suntuosos e às platéias formadas por camadas sociais mais abastadas. A idéia é demonstrar que tanto a apreciação, como o estímulo ao aprendizado, não são exclusivos à elite intelectualizada, confere Cris Queiroz, co-idealizadora e produtora do “Concertos nas Escolas”, lembrando ainda que o projeto visa “criar novas relações de construção de conhecimentos referentes à música instrumental”. Heriberto Porto, parceiro na empreitada e também fundador e flautista do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno, exalta a realização de um sonho, “coisa de educador, do poder que a música tem de emocionar os jovens, sem falar do caráter educativo”, projeta o músico, também professor do Curso de Música da UECE.

A programação revela ainda a esse novo público a produção de compositores e arranjadores brasileiros, ao mesmo tempo em que divulga a música instrumental contemporânea do Nordeste brasileiro e o seu elo com a música tradicional de nossa região. Nesses âmbitos, as execuções do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno já encontram respaldo há dez anos, contribuindo para o sucesso dessa primeira edição, enquanto os idealizadores esperam, em breve, expandir os objetivos de formação e envolvimento a outras escolas públicas e novos públicos, a partir de próximos incentivos.






O QUINTETO DE SOPROS ALBERTO NEPOMUCENO

Fundado em 1998 pelo flautista Heriberto Porto com o apoio do compositor Liduíno Pitombeira (na época consultor de música da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará), o Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno recebeu tal nome em homenagem ao grande maestro e compositor cearense, um dos pioneiros na utilização de uma linguagem nacional em suas composições, no século XIX. A criação do Quinteto deveu-se à percepção da necessidade de estímulo ao uso de instrumentos de sopros e pelo potencial de crescimento musical no Ceará.

No início, formado por professores radicados em João Pessoa, Natal e Fortaleza, o Quinteto ofertou, através desses profissionais, ações voltadas à aquisição de flauta transversal, oboé, clarineta, fagote e trompa, instrumentos que possibilitaram a conseqüente formação pioneira de jovens músicos cearenses nesse segmento. Com a proposta de resgatar o uso de instrumentos importantes e de rara freqüência por essa seara, além de proporcionar o acesso, sem elitismos, de jovens à música de concerto, o Quinteto elegeu um repertório composto por músicas de inspiração popular, a fim de aproximar-se ainda mais do público alvo. Hoje, todos os músicos do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno são radicados em Fortaleza, e a orquestra de câmara é uma das mais importantes do gênero no Ceará.

O trabalho do grupo se direciona a musicais tradicionais e contemporâneos, ao ensino musical e no apoio às orquestras do Estado, em especial à Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho. Na disseminação musical, o Quinteto destaca músicas e compositores nordestinos e brasileiros, como Liduíno Pitombeira, Flávio Fernandes, Villa-Lobos, Pixinguinha, Maestro Duda, Dimas Sedícias, André Vidal, mas também divulga clássicos de Mozart e Haydn, dentre muitos outros. Vem se apresentando regularmente, em recitais e eventos, como a Feira da Música, o Festival Vida & Arte, o Circuito Cultural Banco do Brasil e em centros culturais, como o Dragão do Mar de Arte e Cultura e o Banco do Nordeste. Em 2005 teve o projeto de concertos e oficinas, em Aracati, aprovado pelo Programa BNB de Cultura.

Formação do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno
Heriberto Porto (Flauta): membro do Syntagma; flautista fundador da Marimbanda; professor do Curso de Música da UECE; mestre em flauta e especialista em música de Câmara pelo Conservatório Real de Música de Bruxelas (Bélgica). Professor desde 2004 do Festival de Música de Ibiapaba.

Almir do Vale (Clarineta): Bacharel em Clarineta (UFPB), regente adjunto da banda de música da 10° Região Militar (Exército Brasileiro), aluno do mestrado em música (UFPE), teve várias participações com a Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho. Foi professor no Festival de Música de Ibiapaba.

Humberto Apolinário (Trompa): membro do Quinteto desde 2002; graduado em Música pela UECE; músico da Banda de Música da Base Aérea de Fortaleza; participou, em diversas edições, do Festival Eleazar de Carvalho, estudando com Ozeas Arantes e Cisneiro Andrade. Tocou em diversas ocasiões com a Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho; é coordenador e maestro titular da Banda Asafe (Igreja evangélica Assembléia de Deus).

Everton Castro (Oboé): membro do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno desde 2006, musico da Banda Dona Luiza Távora (Banda do Piamarta), desde 1999, com duas turnês pela Itália, participou, em varias edições, do Festival Eleazar de Carvalho, estudando com os professores Humbert Lucarelli (doutor), Charles Huang (mestre), Moises Pena (mestre). É músico executante e professor de música da Banda Asafe (Igreja Assembléia de Deus).

Francisco de Souza (Fagote): membro do grupo Simphonia; músico da Banda de Música da Base Aérea de Fortaleza; participou, em diversas edições, do Festival Eleazar de Carvalho, estudando com o professor Costinha. Integrou como convidado a Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e outras orquestras cearenses.

Programação dos “Concertos nas Escolas”
ESCOLA
BAIRRO
DATA
HORÁRIO
José de Carvalho
Endereço.: Clodoaldo Arruda, 1300 – Alagadiço Novo
05 de novembro (Dia da Cultura)
7h15


Roseli Mesquita
End.: Rua Fco Calaço, 1791 - Álvaro Weyne
12 de novembro
7h30


Frei Tito
End.: Av. Dioguinho, 5925 - Caça e Pesca
13 de novembro
7h15


Filgueiras Lima
End.: Av. Expedicionários, 3910 - Jardim América
19 de novembro
16h30


Marieta Cals
End.: Rua Valparaíso, 160 - Jangurussu
20 de novembro
7h15


Teófilo Girão
End.: Unidos Venceremos, 2040- Passaré/ Barroso II
21 de novembro
8h





CONTATOS PARA IMPRENSA:


Jornalista responsável:

HERIBERTO PORTO (cel: 8823.1793 / email: novaisporto@uol.com.br), idealizador, professor de música, flautista e fundador do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno.


Sobre o Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno:

ALMIR DO VALE (cel: 8722.7588), clarinetista do Quinteto de Sopros Alberto Nepomuceno.

Nenhum comentário:

Vídeo de Zeca Zines no You Tube - Sensacional!