segunda-feira, 8 de setembro de 2008

CD - I Festival de Música - Talentos da Educação

O I Festival de Música "Talentos da Educação" teve coordenação geral e produção artística do cantor, compositor, radialista, jornalista e também professor Haroldo Holanda e ninguém melhor que o próprio para nos falar do Festival e do CD que resultou do projeto. Abaixo texto de Haroldo Holanda:

"O I Festival de Música Talentos da Educação, realizado a partir das 18 horas do dia 17 de julho de 2006 no palco principal do Theatro José de Alencar, em Fortaleza, teve como objetivo divulgar e premiar o talento dos educadores e servidores da educação pública do nosso Estado, em todos os níveis e modalidades da Educação Básica. Nessa noite de 17 de julho de 2006, com entrada gratuita, foi gravado um CD ao vivo com as músicas classificadas.

O Festival acolheu os mais diferentes gêneros musicais e também teve o objetivo de fazer o intercâmbio de experiências entre compositores, intérpretes, músicos, poetas e artistas lotados na rede estadual e nas redes municipais de ensino público do Ceará. As letras das composições obedeceram à seguinte temática exigida pelo Regulamento do Festival: Educação, Magistério, Educador/Professor. O "Talentos da Educação" é o primeiro festival de música do Brasil com a temática educação, é o primeiro projeto musical brasileiro, na modalidade, inteiramente voltado para o tema Educação, onde chegaram à final 15 concorrentes.

O Festival, promovido pela COOEDUCAR (Cooperativa dos Trabalhadores em Educação do Estado do Ceará) em parceria com o Sindicato APEOC (Sindicato dos Professores e Servidores da Educação Básica Pública no Estado do Ceará), teve apoio de entidades culturais e das iniciativas pública e privada, como: Banco do Nordeste, Fiec/Sesi, Oboé Financeira, Theatro José de Alencar, Centro Cultural Bárbara de Alencar, Editora F.T.D., Livrarias Educativa e Cantares Mídia.

A Comissão Organizadora do evento foi constituída pela professora Penha Alencar (presidente da APEOC), professor Reginaldo Pinheiro, professor Arnaldo Oliveira, professor Jaime Alencar, sindicalista Roque Melo, jornalista Hélder Cordeiro, Fabiano Lima (presidente da COOEDUCAR) e Augusto Coelho. A coordenação geral e produção artística coube a José Haroldo Holanda Linhares, formado em Música pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), formado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará (UFC), pós-graduado em Arte e Educação pelo Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET- CE) e professor concursado da rede estadual de ensino.

As inscrições das composições ao I Festival de Música Talentos da Educação foram gratuitas e ficaram abertas em Fortaleza durante dois meses - do dia 01 de abril ao dia 19 de maio, depois prorrogadas até 31 de maio/2007 - na COOEDUCAR, localizada à Rua Senador Pompeu, 2400, Bairro José Bonifácio, CEP 60.025-002 ou via Correios. Cada compositor pôde inscrever até duas músicas, sendo permitida aos professores e servidores da educação básica pública a parceria autoral com pessoas não diretamente ligadas à educação. No Festival, as 15 músicas classificadas para a noite do dia 17 de julho foram interpretadas (tocadas ou cantadas) por trabalhadores da educação, parceiros ou por uma banda-base contratada para o evento.

O "Talentos da Educação" foi lançado dia 17 de dezembro/2005, no Programa "Educação em Debate", pela Rádio Dragão do Mar de Fortaleza, com retransmissão pelas Rádio Cultura de Paracuru e FM Padre Pedro de Brejo Santo. O Programa "Educação em Debate" vai ao ar aos sábados de 11h ao meio dia (gerado pela Rádio Dragão do Mar) e é produzido há 20 anos pelo Sindicato - APEOC. A partir daí, o Festival foi divulgado em outros veículos de comunicação (jornais, tvs e outras rádios da capital e interior), como também nas próprias escolas.

Cinco mil cartazes tamanho A3 e 30 mil folders tamanho A4 foram levados às escolas públicas de Fortaleza e do Interior do Estado, de janeiro até julho, conclamando os professores e servidores da educação à participação como artistas e também como público, no referido evento de nível estadual. Cartazes e folders em cor verde, letras brancas e pretas, violão estilizado(produzido pelo artista gráfico Álvaro Beleza). A estimativa de público atingido pelo projeto foi de 100 mil pessoas no Estado, entre professores e servidores da educação pública na rede estadual e nas redes municipais do Ceará.

Um dos pontos do Regulamento do Festival era o caráter de ineditismo das composições, ou seja, não terem sido gravadas em CD ou Vinil com fins comerciais. No item Premiação, as 10 músicas vencedoras seriam gravadas em CD, sendo 1.000 (mil) CDs distribuídos equitativamente, cabendo aos autores de cada composição 100 (cem) cópias e troféus para as 3 melhores músicas e melhores intérpretes (1° e 2º).

Na noite do Festival, no palco do Theatro José de Alencar, o compositor Lucio Caeira (professor do Colégio Liceu de Juazeiro do Norte), em concordância com os outros professores-compositores, solicitou à Organização do Festival que todas as 15 músicas classificadas para a final (e não apenas 10) fossem gravadas no CD. A professora Penha Alencar, representando a Comissão Organizadora, subiu ao palco e concordou com a proposta de Luciom. A contracapa do CD é justamente o momento da comemoração dos professores com o “sim” da professora Penha.

Cinqüenta músicas das mais diferentes regiões do Ceará foram inscritas. A primeira música inscrita foi "Um Tempo para Educação", do professor Marcus William Carvalho Sousa, no dia 20 de abril de 2006, via Correios. Ele, do distrito de Sucesso, município de Tamboril, é professor de Inglês da Escola Estadual Jader de Figueiredo Correia, e filho de Manoel Rodrigues, sanfoneiro bastante conhecido na região.

Músicas classificadas para a fase final

A relação das quinze (15) músicas classificadas para a fase final do Festival (dia 17 de julho de 2006) ficou disponível na página eletrônica da COOEDUCAR www.apeoc.org.br/cooeducar e do Sindicato APEOC www.apeoc.org.br30 dias antes da data de realização do Festival, ou seja, dia 17 de junho de 2006.

Em ordem alfabética, as músicas classificadas para a fase final do I Festival de Música "Talentos da Educação" foram:

1."A Escola é seu Lugar", da professora Maria Euda Nascimento de Lima, da Escola Municipal Padre Antônio Monteiro da Cruz, Parque Santa Rosa, Fortaleza ;

2."Alvorada de Vida", do professor João Crisóstomo de Oliveira, da Escola Estadual Violeta Arraes, em Araripe, e de Sônia Linhares.

3."Berço da Educação", do professor Ruy Vieira, do CEJA de Limoeiro do Norte, e de Damião Ferreira de Sousa.

4."Cidadania", da professora Maria do Socorro Macedo de Sousa, da Escola Estadual Governador Faustino Albuquerque, Conjunto Ceará, Fortaleza.

5."Ensinar e Aprender a Ser Feliz", do professor Francisco Giordane Nobre Pitombeira, da Escola Municipal Antônio Bezerra Monteiro, Juazeiro do Norte.

6."Educar Saber Amar", do professor Cleto Pinto Marques, da Escola Estadual Murilo Serpa, em Itapipoca.

7."Educação é União", do professor Francisco Valder Carvalho de Almeida, da Escola Estadual Ana Faço, em Beberibe.

8."Educação de Qualidade(?)", do professor Francisco José de Oliveira, da Escola Municipal José Edvaldo de Sousa, em Potengi.

9."Eu Chego Lá", do professor Daniel Ricardo Ximenes, da Escola Estadual Paulo Freire, Henrique Jorge, Fortaleza, e Gerlena Oliveira do Nascimento.

10."Educa-a-dor", do professor Luciom Caeira, do Colégio Liceu de Juazeiro do Norte.

11."Educar Merece a Gente", do professor Cleto Pinto Marques, de Itapipoca.

12."O Verbo", da professora Antonia de Maria Linhares, do CAIC Maria Alves Carioca, Bom Jardim, Fortaleza.

13."Sonho de uma Nação", da professora Ana Maria Santiago de Abreu, da Escola Estadual Cordeiro Neto, Vila União, Fortaleza, e de José Maria Sombra.

14."Um Tempo para Educação", do professor Marcus William Carvalho Sousa, da Escola Estadual Jader de Figueiredo Correia, Sucesso, Tamboril.

15."Vida de Educador", do professor Francisco da Paz Pessoa, do Centro Educacional Municipal São Joaquim, Boqueirão dos Dourados, Camocim.

Hospedagem dos Compositores, Músicos e Intérpretes em Fortaleza

Compositores, músicos e intérpretes do Interior do Estado chegaram à Fortaleza uma semana antes da data de realização do Festival, para os ensaios no Auditório Paulo Freire do Sindicato APEOC, situado à Rua Solon Pinheiro, 1306, Bairro de Fátima. A hospedagem foi garantida pela organização do evento, e os concorrentes ficaram alojados na Casa do Professor (Palácio da Educação), mesmo prédio onde localizam-se a sede do Sindicato e o Auditório Paulo Freire.

Vinte pessoas ao todo compunham o grupo bastante animado de professores e alunos, com seus violões, guitarras, baixos e instrumentos de percussão. Até filhos menores de músicos faziam parte do grupo como as 2 garotinhas, filhas de Luciene, intérprete da música "Educa-a-dor", de autoria de Luciom Caeira, professor do Colégio Liceu de Juazeiro do Norte. Aliás, as 7 pessoas que vieram daquela cidade do Cariri, para defender a referida música no Festival, chegaram à Fortaleza (e também retornaram à Juazeiro depois do evento), de carona em uma ambulância daquele município.

Quem primeiro chegou à Casa do Professor, para hospedagem, foi o representante do município de Camocim, mais precisamente do distrito de Boqueirão dos Dourados, na Região Norte do Estado, prof. Francisco da Paz Pessoa, conhecido como Sílvio Paz.


Ensaio das Músicas com a Banda-Base do "Talentos da Educação"

Os ensaios tiveram início no dia 10 de julho/2006, às 8h30min no Auditório Paulo Freire. Já às 7h30min, o baixista Nélio Costa, um dos integrantes da banda-base contratada para os arranjos e acompanhamento das músicas, encontrava-se na calçada do Sindicato APEOC, aguardando o restante do seu grupo. Logo depois chegavam Ana Maria Santiago, professora da Escola Estadual Cordeiro Neto, Bairro Vila União, Fortaleza, e o funcionário aposentado da Prefeitura de Fortaleza, José Maria Sombra (conhecido por Bahia), autores da música "Sonho de uma Nação".

Aos poucos, intérpretes, músicos e compositores da Capital e Interior, que solicitaram a banda-base, foram chegando ao auditório. Este movimento constante de músicos na casa, subindo e descendo ao primeiro andar (hospedagem) e ao segundo andar (Auditório), chamou bastante atenção dos professores e professoras associados ao Sindicato que para lá se dirigiam em busca de orientações na área de educação e de seus direitos como profissionais.

Duas semanas antes da realização dos ensaios, a coordenação do Festival fez a entrega à banda-base no estúdio da gravadora Cantares, Rua Pedro Pereira, centro da cidade, das músicas classificadas, para que os trabalhos de arranjos fossem sendo adiantados (do dia 18 de junho a 01 de julho ).Os arranjos ficaram a cargo do guitarrista Jean Nand's e do baterista Júnior Finnis. Quem primeiro subiu ao palco para ensaiar com a banda-base foi o professor Valder Carvalho, da Escola Estadual Ana Facó do Município de Beberibe. Por conta da música "Educação é União" ter o ritmo blues, alguns integrantes da banda, num misto de brincadeira e também de orientação, sugeriram que o representante de Beberibe usasse na apresentação, na noite do Festival, um chapéu de massa, botas e roupas de cores fortes, o que foi seguido em boa parte pelo professor Valder.

A música mais cantada pelos professores-artistas, tanto de Fortaleza como do Interior, durante os ensaios no Auditório Paulo Freire, era "Educa-a-dor", de autoria de Luciom Caeira, professor do Colégio Liceu de Juazeiro do Norte. Um reggae que tem no refrão estes versos: "Tudo é mentira, é falsidade / Educação nunca foi prioridade / Se não investem nos profissionais da Educação". Na interpretação estavam Luciom e a estudante Luciene, e no baixo o músico João Neto, bastante conhecido na região do Cariri.

Os ensaios começavam pela manhã e entravam pela tarde, tudo num clima de muita cooperação e cordialidade entre professores, alunos, músicos e intérpretes. Alguns compositores não solicitaram a banda-base à organização do Festival. Apresentaram seus trabalhos com seus próprios grupos musicais, como: Francisco José de Oliveira, professor da Escola Municipal José Edvaldo de Sousa, em Potengi, no Cariri. Ele interpretou a música "Educação de Qualidade (?)" com a banda Ferrerus, formada por alunos e professores daquele município. O nome da banda deve-se ao fato de Potengi ser conhecido como o município dos ferreiros, a terra dos homens que trabalham com ferro e fogo.

A professora Antônia de Maria Linhares, da Escola Maria Alves Carioca, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza, interpretou juntamente com o aluno John Lopes sua composição "O Verbo", e banda formada por professores e alunos. O grupo ensaiou no auditório do Sindicato APEOC.

Uma banda formada por alunos e professores da Escola Municipal Filgueiras Lima, bairro Jardim América, em Fortaleza, defendeu a música "Eu Chego Lá", de autoria do professor Daniel Ximenes e da estudante Gerlena Oliveira (nome artístico Lenna do Valle). Daniel e Lenna interpretaram a composição. Os ensaios do grupo aconteceram no Colégio Filgueiras Lima.

A professora Maria Euda Nascimento de Lima, que leciona na Escola Padre Antônio Monteiro da Cruz, Parque Santa Rosa, em Fortaleza, convidou sua filha Lílian Cristina, professora da Escola Beth Shalom -Anexo da Escola Municipal Antônio Diogo de Siqueira) e os músicos Conrado (teclado) e Alencar (violão), para os ensaios e apresentação no festival da música "A Escola é Seu Lugar".

OBS.:
A primeira faixa do CD I Festival de Música Talentos da Educação é "O Grito do Professor" (música de abertura do festival, não concorrente). É de autoria do professor José Luís Carvalho Santos, nascido no Piauí e radicado em São Luís, Maranhão, lecionou Língua Portuguesa no CEFET de São Luís, e Lingüística na Universidade Estadual do Piauí. José Luís foi convidado para fazer a abertura do Festival e presidir a mesa julgadora do evento.

José Luís Carvalho Santos é filho do maestro piauiense Luís José Santos e pai dos músicos, cantores e compositores José Luís Carvalho Santos Júnior e Virma Lise (ambos com CDs gravados). O professor José Luís (violonista e saxofonista) tem disco gravado com músicas de sua autoria, e outras ao saxofone.

A música (um samba-canção estilizado) é tida como um hino entre professores de vários estados nordestinos (Ceará, Piauí e Maranhão). "O Grito do Professor" exalta o importantíssimo trabalho do educador brasileiro, cobra respeito das autoridades pela profissão, e conclama a categoria a não se deixar abater porque "um dia todos nós haveremos de vencer". E lembra muito bem: "professor é o único ser que ensina o que sabe/ sem guardar qualquer segredo deixa você inteirado".

A melodia, com característica boêmia, remete muito às origens da música brasileira quando da modinha, choro, samba."

Vencedores do Festival

As músicas foram apreciadas pela Comissão Julgadora, na noite do dia 17 de julho de 2006 no Theatro José de Alencar, sob três aspectos: a qualidade da letra, a qualidade da melodia, e a originalidade. Cada jurado deu nota de 1 a 10 para cada um dos quesitos em julgamento. A interpretação das composições também estava em apreciação, com a nota indo de 1 a 10 para o quesito afinação e ritmo.

As composições classificadas nos três primeiros lugares e os melhores intérpretes (1º e 2º lugares) obtiveram as seguintes pontuações: Vencedora - "Sonho de uma Nação", com 257 pontos, música da professora Ana Maria Santiago (de Fortaleza) e letra de José Maria Sombra. Segundo Lugar - "Educação é União", com 249 pontos, música e letra do professor Valder Carvalho, de Beberibe. Terceiro Lugar - "Eu Chego Lá", com 243 pontos, música do professor Daniel Ximenes (de Fortaleza) e letra da estudante Gerlena do Vale. Também em Terceiro Lugar com 243 pontos - "O Verbo", música e letra da professora Antônia de Maria Linhares (também de Fortaleza).

A melhor interpretação ficou para Ana Maria Santiago e José Maria Sombra ("Bahia), 86 pontos, com a música "Sonho de uma Nação". A segunda melhor interpretação ficou com Henrique Torres, 81 pontos, estudante de Icó, que defendeu a composição "Alvorada de Vida", música do professor João Crisóstomo de Oliveira (de Araripe) e letra de Sônia Linhares.

O corpo de jurados (com 10 pessoas) era formado de músicos, literatos, jornalistas, professores, produtores culturais e pessoas ligadas à arte e à cultura em geral. Foram eles: João Moraes Mota, regente do Coral Madrigal de Fortaleza e vice-reitor da Universidade Estadual do Ceará; Calé Alencar, cantor, compositor e produtor cultural; Augusto Borges, radialista e apresentador de programas de televisão; Bidu Noronha, guitarrista e vocalista da banda de rock Fator RH; Mônica Cisne, diretora do Centro Cultural Oboé; Ricardo Pinto, coordenador do Programa BNB de Cultura; Reginaldo Pinheiro, presidente em exercício do Sindicato APEOC; Fabiano Lima, presidente da Cooperativa dos Trabalhadores em Educação do Estado do Ceará (COOEDUCAR); Valquíria Vasconcelos, 72 anos, aluna da rede pública de ensino, representando a classe estudantil cearense; e Tarcísio Tavares, publicitário e jurado de programas de televisão. A professora Paula Carvalho (APEOC) assessorou os trabalhos junto à presidência do corpo de jurados.

Gamaliel Noronha e Norma Zélia foram os apresentadores do I Festival de Música Talentos da Educação.

Um comentário:

Prof, Varela disse...

gostaria de poder baixar esse cd

Vídeo de Zeca Zines no You Tube - Sensacional!