terça-feira, 20 de maio de 2008

Valter Trote - Boto Fé

Trabalhar com música no Brasil já é uma barra, trabalhar com a cultura popular e ser independente então não precisa nem falar... Mas essa foi a opção do cantor e compositor Valter Trote. Nascido em Fortaleza, Valter mora desde os anos 90 em Brasília, onde trabalha como funcionário da Secretaria de Saúde. Como a música sempre esteve em sua trajetória, desde a época em que estudava Educação Física na Universidade de Mossoró, RN, Valter escolheu ter a música não como uma profissão, mas como uma realização pessoal e dessa forma ele vem espalhando sua arte por diferentes caminhos. Participou de vários festivais de música, tanto no Ceará como em São Paulo e Brasília. Seu primeiro lançamento foi um compacto simples com as músicas Água Doce – mesmo nome do grupo que ele liderava em Natal- e Canoa Quebrada, lançado em 1985. O disco foi distribuído por Valter em vários pontos de Canoa e outras cidades, a mesma estratégia que ele usa até hoje. Distribuir seu trabalho e não vender. Exatamente o que já está acontecendo hoje, via internet, com alguns artistas independentes que preferem disponibilizar seu trabalho ao invés de comercializá-lo. As principais influências musicais de Valter são os cantores e compositores Geraldo Azevedo, Bráulio Tavares, Xangai e o conterrâneo Ednardo. Um apaixonado pela cultura popular nordestina, Valter incorpora aos seus shows elementos como os bonecos mamulengos, literatura de cordel e também os populares “causos” entre uma canção e outra.

O trabalho mais recente de Valter Trote é o CD “Boto Fé” que ele gravou em 2007 , com 12 músicas autorais e que vem divulgando por várias cidades brasileiras. Com ritmos como baião, reggae, blues e xote, o disco é uma mistura brasileira bem criativa e com versos interessantes como na faixa “Se fosse antes: “mas veja tem o lado bom/se nunca começou/nunca vai terminar/ e isso em outras palavras quer dizer/ prá sempre eu vou te amar”. Outro destaque do disco é “Vambora”- um baião cujo refrão fica na cabeça depois da segunda audição - e que foi escolhida por Valter para fazer um clip promocional , gravado entre Fortaleza e Caucaia e na serra de Pacatuba.

“Remédio Naturá” é um xote que fala de doenças e de como se pode curá-las através da medicina popular, enquanto “Cavaleiro do Rei” , ora balada ora reggae, narra a saga de um nordestino que “quer ser um anjo, aventureiro, cow-boy, e se sobrar um tempinho, talvez um super-herói”. Outra faixa bem interessante do disco é a que fecha o trabalho “Paixão”. Na minha opinião, se Raimundo Fagner gravasse essa canção ela viraria um hit. Ela tem tudo a ver com o jeito de Fagner cantar e a guitarra inicial me remeteu à Robertinho de Recife e seus solos incríveis quando tocava com Fagner.

Vale a pena conhecer o trabalho de Valter Trote e aceitar o convite dele: “Se quiser vir mais eu vambora...”

Músicos que tocam no CD: Valter Trote: voz, violão de aço e nylon, violino, Pingo: viola, baixo, violão de aço, percussão, bateria e backing vocal, Carlinhos Barbosa: acordeon e zabumba, percussão, Rafael Felipe: teclados, Bernardo Bitencurt: violoncelo, Philip Emerick: teclados, Didio Corrêa: bateria, Rosenita Moraes: backing vocal, Waldinho Maranhão: teclados e Edson Magia: bateria.


VALTER TROTE – BOTO FÉ – 2007

1-Vambora
2-Boto fé
3-Contador de histórias
4-Espécie rara
5-Remédio Natura
6-Se fosse antes
7-Raquel
8-Quantos amores
9-Fruto rebelde
10-Saber Natural
11-Cavaleiro Deo Rei
12-Paixão

Um comentário:

Anônimo disse...

Esse Valter Trote é fera mesmo,em arraial só rola as musicas de camarada....principalmente Raquel.

Vídeo de Zeca Zines no You Tube - Sensacional!